Posts com a tag monitora

Ana Paula Brito: exemplo de amor aos pequeninos

Ana Paula CreheSabe aquela pessoa que passa confiança só no olhar? Pois bem, essa é a monitora Ana Paula Brito, da creche Vó Zizi, que há mais de 2 anos dedica boa parte do seu tempo aos muitos pequeninos matriculados na instituição.

Ana Paula ainda está se graduando em pedagogia, mas não tem dúvidas que o seu lugar é mesmo em uma sala de aula. “Amo o que faço e sou apaixonada por crianças . Não é uma tarefa fácil, porque cada um tem a sua personalidade, mas a gente tenta atender a todos da melhor forma possível e a cada dia é uma descoberta nova”, destaca.

A monitora conta ainda que está não é a primeira vez que trabalha com crianças, mas que na creche Vó Zizi teve a oportunidade de conhecer o universo dos pequenos e poder compreendê-los melhor. No começo, ela confessa que tinha medo de não dar conta do recado e até mesmo as pessoas tinham dúvidas quanto a sua capacidade, mas pegou aquele momento como um desafio pessoal. “Eu tinha um mês para me adaptar as crianças e elas a mim, mas eu sabia que desde o início aquela turma seria minha”, lembra.

O amor e dedicação de Ana Paula aos pequeninos é visível, basta observá-la em sala de aula ou no parque, enquanto aguarda a chegada dos pais. Mas ela observa que todo esse desempenho e amor aos pequeninos se deve muito ao trabalho em equipe que existe na creche. “Aqui é muito família, sempre um está ajudando o outro, sem falar que é um lugar de confiança onde sem dúvidas eu deixaria meu filho. Já recebi proposta de emprego para trabalhar meio período, mas não aceite, porque aqui o ambiente é único”.

E por falar em filho, Ana Paula ainda não é mãe, mas já sente esse amor latente com as crianças que trabalha. “Ver o desenvolvimento das crianças não tem preço e às vezes quando não estamos num dia bom e ouvir um “tia eu te amo” ou  “tia como você está linda”, isso muda o nosso dia e faz toda a diferença!”, comemora.

 

Famílias são restauradas por meio do projeto Parceiros de Deus

TestemunhosSustentar os filhos nos dias atuais tem sido um desafio para muitas famílias. Ter o cuidado com a alimentação, escola e a segurança das crianças é um dos maiores problemas encontrados por pais, principalmente, àqueles que enfrentam dificuldades financeiras para dar o básico do necessário aos pequeninos. Mas, o Parceiros de Deus tem mudado a realidade de muitos lares que passam por esses desafios.

Maria Madalena Martins, 30 anos, é um dos vários exemplos encontrados no projeto. Trabalha como monitora na creche dos Parceiros de Deus em Samambaia, no Distrito Federal, desde abril de 2011. Mãe solteira, sustenta sozinha dois filhos de 6 e 3 anos de idade. Antes de fazer parte do quadro de funcionários da creche, trabalhava como diarista, mas o dinheiro não era suficiente para alimentar as crianças e pagar as contas mensais.

Por indicação de uma amiga, ficou sabendo que na creche estavam contratando pessoas. Viu ali, a oportunidade que tanto esperava para ter uma renda fixa e proporcionar uma vida melhor à sua família. Moradora de Águas Lindas de Goiás, Madalena trabalha na creche de segunda a sexta-feira, das 7h às 16h, e leva como companhia o filho caçula de 3 anos, que também faz parte das crianças atendidas na instituição.

Para ela, além de trabalhar numa entidade comprometida em proporcionar o bem estar de muitas crianças, ainda tem a vantagem de poder estar perto do filho. Na creche, o pequeno aprende e tem a oportunidade de interagir com outros amiguinhos. Madalena tem tanta confiança nos trabalhos desenvolvidos na creche que comenta que mesmo se não trabalhasse nela, faria de tudo para que o filho fosse assistido. “Confio plenamente em deixar meu filho aqui, pois é um ambiente bom e as pessoas são muito responsáveis”, comenta.

Mas, Madalena não é a única na lista de famílias que tiveram a oportunidade de trilhar um novo caminho. A avó Iara Silva Gomes, 48 anos, moradora do Itapoã, também tem o privilégio de trabalhar na creche dos Parceiros de Deus na cidade onde mora. Vó Iara, como é conhecida, começou como voluntária e, por desenvolver um excelente trabalho, foi contratada. Exercendo a função de cozinheira na Aba do Itapoã, esta foi a primeira oportunidade que encontrou para fazer o que gosta: boa comida e ainda estar perto dos netos queridos.Vó Iara

Para ela, conhecer o ambiente e a rotina do local passa mais segurança em deixar os meninos. “Estou feliz com o meu trabalho, pois faço o que gosto, atender a cada criança com uma alimentação saudável”.

O projeto vai além dos quadros e lápis de colorir, oferecer dignidade às pessoas assistidas e toda família é o que move os “Parceiros de Deus”.  Com sua contribuição, muitas vidas podem se transformar em uma bela história. Participe, faça parte desse projeto que possibilita famílias a mudarem de vida.